Dizimo

Dizimo

sábado, 26 de março de 2016

A Origem e o Sentido da Páscoa Cristã


Páscoa é uma das mais importantes festas para o cristianismo. A data, comemorada sempre depois da primeira lua cheia que ocorre no início da primavera, no hemisfério Norte, celebra a ressurreição de Cristo após a crucificação.
Certo, tudo isso você já sabia, mas você sabe qual a origem da Páscoa cristã, o porquê do nome da celebração e o verdadeiro sentido da festa?
A origem da Páscoa (Pascoa Judaica – Pessach)
Durante os muitos anos em que os israelitas viveram como escravos do Faraó no Egito, Deus enviou Moisés para libertá-los e enviá-los de volta a Israel, a Terra Prometida.
A tarefa de Moisés não seria fácil, e Deus enviou várias provações, ou as pragas, para que o Faraó se convencesse a libertar o Seu Povo, porém o Faraó permanecia duvidando da existência do Deus de Israel e se recusava a libertar os Hebreus.
Depois de nove pragas que quase acabaram com o reino egípcio e das negativas do Faraó, Deus enviou aquela que seria a pior praga para todos no Egito: Um anjo destruidor foi enviado pelo Senhor para eliminar todo primogênito de todas as famílias egípcias.
praga
“E eu passarei pela terra do Egito esta noite, e ferirei todo o primogênito na terra do Egito, desde os homens até aos animais; e em todos os deuses do Egito farei juízos. Eu sou o Senhor.”(Êxodo 12:12)
Para se salvarem, os israelitas que acreditavam em Deus teriam que fazer o sacrifício de um cordeiro e marcar a porta de sua casa com seu sangue, para que o anjo destruidor não passasse por suas casas, salvando assim seus primogênitos.

Daí surgiu o termo Páscoa, do Hebreu Pessach, que significa “pular a marca”, “passar por cima” ou “poupar”.
saída
O evento serviu para que o Faraó, que também perdeu seu primogênito, não só permitisse que o povo hebreu se fosse, mas também serviu como uma profecia para o “Cordeiro de Deus que tira o pecado do mundo” (João 1:29).
Desde a libertação os israelitas passaram a comemorar a Páscoa toda primavera, como a libertação do povo da escravidão no Egito.
E este dia vos será por memória, e celebrá-lo-eis por festa ao Senhor; nas vossas gerações o celebrareis por estatuto perpétuo. (Êxodo 12:14).
A Páscoa no Novo Testamento
Jesus, com todo Judeu, também comemorava a Páscoa com seus pais, que todos os anos saíam em peregrinação de Nazaré aJerusalém para a celebração da Páscoa Judaica.
A importante passagem bíblica em que Jesus surpreende os sábios no Templo ao mostrar seu conhecimento aconteceu durante uma dessas viagens para a celebração da Páscoa, a primeira visita de Cristo a Jerusalém para a festa.
E, tendo ele já doze anos, subiram a Jerusalém, segundo o costume do dia da festa.
E, regressando eles, terminados aqueles dias, ficou o menino Jesus em Jerusalém, e não o soube José, nem sua mãe.
O-Menino-Jesus-no-Templo1

Pensando, porém, eles que viria de companhia pelo caminho, andaram caminho de um dia, e procuravam-no entre os parentes e conhecidos;
E, como o não encontraram, voltaram a Jerusalém em busca dele.
E aconteceu que, passados três dias, o acharam no templo, assentado no meio dos doutores, ouvindo-os, e interrogando-os.
E todos os que o ouviam admiravam a sua inteligência e respostas. (Lucas 2:42-47)

O martírio de Jesus aconteceu durante uma celebração da Páscoa judaica em Jerusalém. Na noite anterior a sua crucificação Jesus participou da Última Ceia com os apóstolos em comemoração a data e em antecipação ao seu sofrimento.
E disse-lhes: Desejei muito comer convosco esta páscoa, antes que padeça; (Lucas 22:15)
No dia seguinte à celebração Jesus seria crucificado para livrar seu povo dos pecados, como a profecia do Cordeiro de Deus havia anunciado milhares de anos antes.
No terceiro dia Jesus ressuscitou, e a partir daí a Páscoa passaria a ser celebrada de outra maneira para aqueles que acreditavam que Jesus era o Filho de Deus e Salvador do mundo.
A Páscoa Cristã
sepulcro-vazio
Agora que você já sabe a origem da Páscoa, podemos falar um pouco mais sobre a Páscoa que celebramos sempre entre os dias 22 de março e 25 de abril.
Assim como os Hebreus foram salvos pelo sangue do cordeiro na praga enviada ao Egito, somos salvos pelo Sangue do Cordeiro, que morreu na cruz para livrar-nos dos pecados do mundo.
Por isso a celebração da Páscoa pelos cristãos é tão importante quanto o próprio nascimento de Cristo, pois ela comemora a ressureição do Cordeiro de Deus, nosso Salvador.
Alimpai-vos, pois, do fermento velho, para que sejais uma nova massa, assim como estais sem fermento. Porque Cristo, nossa páscoa, foi sacrificado por nós. (1 Coríntios 5:7).
A comemoração da Pascoa não somente festeja a ressurreição de Cristo, mas a vida eterna que Deus tem para todos nós.
Porque Deus amou o mundo de tal maneira que deu o seu Filho unigênito, para que todo aquele que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna.
(João 3:16).

Nenhum comentário:

Postar um comentário